Câncer de estômago

Conhecido também como câncer gástrico, é o terceiro tipo mais frequente entre homens brasileiros e o quinto entre as mulheres, segundo dados do INCA (Instituto Nacional de Câncer).

 

O adenocarcinoma é o responsável por cerca de 95% dos tumores. Outros tipos de tumores, como linfomas e sarcomas, também podem ocorrer no estômago.

 

O adenocarcinoma de estômago atinge, em sua maioria, homens por volta dos 60-70 anos.

Perguntas Frequentes

Quais são os sintomas do câncer de estômago?

O paciente pode apresentar alguns sinais de câncer, como perda de peso e de apetite, cansaço, desconforto abdominal, além de vômitos - com ou sem sangue - e náuseas. Durante o exame físico, o paciente também pode sentir dor no momento em que o estômago é palpado.  Sangue nas fezes, fezes escurecidas, pastosas e com odor muito forte também podem ser sinais da doença.

Como é feito o diagnóstico do câncer de estômago?

O diagnóstico é feito pela endoscopia digestiva alta.  Neste exame, o médico visualiza o esôfago e o estômago, além de fazer biópsias para diagnosticar o tumor e o melhor tratamento.

Normalmente são feitas tomografias para avaliar também a extensão do tumor.

A cirurgia é indicada para remover o câncer de estômago?

A forma da cirurgia e quando realizar vem mudando nos últimos anos. A via de acesso, que antigamente a preferência seria por corte, via aberta, é realizada hoje preferencialmente por vídeo ou mais atualmente por via robótica. Além disso, cada vez mais a tendência é fazer quimio ou quimio e radio antes e depois operar.

Saber avaliar corretamente o estádio do tumor e a melhor sequência a ser usada é fundamental para o sucesso do tratamento.

Como prevenir o câncer de estômago?

Para prevenir o câncer de estômago o ideal é manter o peso corporal dentro da normalidade e, principalmente, evitar o consumo de alimentos ultraprocessados e enlatados.