Google Rank Checker

FÍGADO E VESÍCULA BILIAR

FÍGADO

O fígado é o maior órgão sólido humano e localiza-se no abdômen superior, sob as costelas, do lado direito do corpo. É responsável pelo aproveitamento de um grande número de substâncias absorvidas pelo intestino e pela produção de várias proteínas que desempenham as mais diferentes funções no organismo, tais como a coagulação sanguínea e a defesa contra infecções. 


VESÍCULA BILIAR

Podemos definir a vesícula como uma bolsa localizada junto ao fígado, e a mesma ficam armazenando bile. A bile é um líquido esverdeado que tem o objetivo de ajudar na digestão dos alimentos, principalmente de gorduras. 

HEPATITE

O termo hepatite se refere à inflamação no fígado.

fígado.png

A Hepatite pode ocorrer mais comumente por vírus, álcool, drogas, medicamentos e por acúmulo de gordura no fígado (esteatose), hepatite autoimune, hemocromatose.

Aqui iremos falar especificamente das hepatites virais. As mais comumente encontradas no nosso meio são as hepatite A,B e C.

Na hepatite A sua transmissão se faz por contaminação de água ou alimentos, ou contaminação oral fecal. Mais comumente infectada em crianças, e o seu período de incubação no organismo é entre 10 e 50 dias. Os sintomas pouco específicos, como mal estar, estado gripal, até febre alta, icterícia (paciente fica verde), coluria (xixi cor de coca cola) e acolia fecal (fezes esbranquiçadas). O tratamento na fase aguda é sintomático, repouso, não fazer ingestão de bebida alcoólica, assim como medicamentos que ataquem o fígado. Neste tipo de hepatite não ocorre cronificação. Há prevenção apesar de existir vacina, e a melhor forma de prevenir é a adequada higiene das mãos e dos alimentos.

A hepatite B e C, são transmitidas principalmente por via sanguínea, quer seja por transfusão de sangue, por material cirúrgico contaminado ou por usuários de drogas, e existe também a possibilidade de transmissão por via sexual. Os sintomas são parecidos com o da hepatite A, porém com a diferença que estes dois tipos de hepatite podem levar a forma crônica, isto é, permanecer por longo período a inflamação constante do fígado, e evoluindo para uma cirrose. Importante ressaltar que muitas vezes os sintomas na fase aguda são poucos específicos e o mesmo evoluiu para fase crônica sem saber e só irá descobrir da doença quando a mesma estiver em fase avançada. A hepatite B teve uma redução no numero de casos, devido a vacinação obrigatória no Brasil. Para a hepatite C não temos vacina.

Paciente com enzimas hepáticas aumentadas devem procurar um especialista pois você pode estar de frente com um quadro de hepatite sem saber a causa e principalmente a sua evolução.

PEDRA NA VESÍCULA

A pedra na vesícula surge com o desequilíbrio entre os componentes da bile que são: água, sais biliares e colesterol.

pedra na vesícula.png

Os principais fatores de risco para o desenvolvimento de cálculos são: idade superior a 40 anos, sexo feminino, obesidade, gravidez, histórico familiar de parentes de 1º grau.

SINTOMAS

Os sintomas aparecem quando o cálculo dentro da vesícula impede o escoamento da bile para dentro do duodeno. Toda vez que comemos ocorre uma contração da vesícula, para eliminar a bile para o intestino e desta forma auxiliar na digestão dos alimentos. Por isso, quanto maior a quantidade de cálculos, maior serão as chances de uma pessoa ter uma crise de vesícula.

Os sintomas podem ser dores no lado direito perto das costelas, que é a região aonde se localiza a vesícula, ou dores e mal estar que podem simular crises de estômago. Desta forma muitas vezes crises que podem simular crises de gastrite, na realidade é sintomas de pedra na vesícula. 

As complicações mais comuns podem ser: colecistite (inflamação na vesícula), pancreatite aguda (quando a pedra da vesícula sai e inflama o pâncreas). 

TRATAMENTOS

A forma de tratamento é predominantemente cirúrgico. Ela pode ser por vídeo laparoscopia, e mais modernamente pode ser por portal único, isto é, com uma única incisão localizada no umbigo, se faz a cirurgia, esta técnica tem a vantagem estética na cirurgia. 

A vesícula é um órgão importante, mas não é vital. A maioria dos pacientes sem vesícula vive sem grandes problemas. Os principais sintomas que surgem após a retirada da vesícula são aumento dos gases e fezes mais amolecidas, principalmente após a ingestão de alimentos gordurosos.