Google Rank Checker

CÂNCER DE FÍGADO

O câncer do fígado pode ser dividido em duas categorias: primário e secundário (metastático).

Câncer Primário: são tumores que nascem no fígado os tipos mais comuns estão o hepatocarcinoma, o colangiocarcinoma e o angiossarcoma.

Câncer Secundário: são tipos de câncer que desenvolvem em outros órgãos e acomete o fígado.


O que é Hepatocarcinoma?

O Hepatocarcinoma é o tipo mais frequente de tumor primário do fígado, cerca de 50% dos pacientes possuem câncer de fígado causado pela cirrose. 
Geralmente o tumor se desenvolve rapidamente. Estudos demonstram que o tumor pode dobrar seu tamanho em 4 a 5 meses, esse crescimento elevado pode ser fundamental para a detecção precoce da doença hepática. 
Os sintomas são inespecíficos, geralmente causa dores no abdômen, perda de peso, fraqueza, barriga inchada e icterícia (pele amarelada).


O que é Colangiocarcinoma?

O colangiocarcinoma é o segundo tipo de tumor primário mais frequente do fígado. Sua origem está nos ductos biliares, ou seja, nos pequenos ?tubos? dentro do fígado que coletam a bile e a transportam até o intestino delgado.
Na maioria dos casos o calangiocarcioma acomete pacientes que não apresentam o fígado cirrótico. 
Os seus sintomas são inespecíficos, alguns casos podem apresentar fraqueza, mal estar e inchaço na barriga. Na maioria das vezes o tumor só é descoberto em fase avançada. 


O que é Angiossarcoma?

Angiossarcoma hepático é um tipo de câncer raro do fígado, que se originaliza nos vasos sanguíneos do fígado. A função normal dos vasos sanguíneos é filtrar as bactérias e moléculas estranhas do sangue à medida que passa através do fígado. O diagnostico da Angiossarcoma pode ser difícil devido às doenças hepáticas que podem apresentar sintomas semelhantes. Quando descoberto o tumor pode estar em fase avançada. 


O que é Metástase Hepática?

Este é um dos temas que mais se desenvolveu na cirurgia oncológica nos últimos anos. As metástases hepáticas oriundas de outros tumores são cerca de 20 vezes mais frequentes que os tumores primários do fígado. A drenagem venosa do fígado é muito importante, pois o câncer secundário pode frequentemente se desenvolver de outros órgãos como colón, reto, estômago, pâncreas, mama e pulmão. 
Saber tratar de maneira segura e eficaz a metástase hepática significa aumentar a sobrevida dos pacientes. A sobrevida do paciente com metástase hepática sem tratamento pode variar de 4 a 24 meses.